Blog

conteúdo gratuito pra você! :)

Categorias: Posts mais amados

Como celebrar a Páscoa com as crianças de um jeito Montessori?

De onde surgiu a ideia de que para manter vivo o “espírito de Páscoa” nas crianças era  preciso fazê-las acreditar em coelhos que escondem ovos de chocolate no meio da noite? 😊

Será possível manter tradições culturais e familiares de uma forma lúdica e afetiva, deixando de lado a superficialidade meramente material e consumista das festas?

Neste post vamos conversar sobre as origens da Páscoa e como a abordagem Montessori de educação nos convida a transmitir às crianças nossos valores familiares e verdadeiro sentido das celebrações culturais. Confira!

Montessori e fantasia

A criança está descobrindo e absorvendo o mundo em que vive para aprender a viver no mundo.

Se você já me segue há algum tempo, já deve saber disso, mas é importante frisar: de uma forma geral, a criança não consegue separar a fantasia da realidade antes dos 6 anos.

E é por isso que em Montessori não apresentamos fantasia antes dessa idade.

Queremos apresentar a vida à criança. Desse modo, você não verá coelhinhos da Páscoa que trazem ovos de chocolate em um ambiente Montessori simplesmente porque eles não existem.

Falamos a verdade para a criança. Sempre. Sem exceção. Porque elas confiam em nós e precisam continuar confiando para terem a segurança que precisam para se desenvolver plenamente.

Mas, por outro lado, é importante destacar que valorizamos e estimulamos que a criança aprenda sobre a cultura do lugar em que vive. Afinal, acreditamos que educar é ajudar o desenvolvimento da vida. E para que a vida se desenvolva plenamente e a criança precisa se perceber parte de um todo maior: a sociedade em que vive. E a cultura tem um papel importantíssimo no desenvolvimento do “ser social”.

A educação Montessori não aborda especificamente um determinado tipo de religião. Mas respeita profundamente a religião e as crenças de cada família. Por isso, entendemos que cabe a cada família escolher a abordagem que deseja adotar com seus filhos.

Mas, sim. Nós sabemos que encontrar o tom dessa abordagem de um jeito que as crianças entendam, não é tarefa fácil. Por isso, para ajudá-los na construção desse caminho particular de cada família, acredito que um bom ponto de partida é entendermos as origens das tradições culturais da Páscoa.

As origens da Páscoa

Segundo a tradição cristã, a Páscoa é uma das mais importantes celebrações (se não a mais importante) porque evidencia a grandiosa importância da ressurreição de Cristo.

Mas você sabia que a celebração de Páscoa já existia antes do nascimento de Jesus?  O nome páscoa deriva de uma tradicional festa judaica chamada Pessach, que significa “passagem”, onde se comemora a saída dos judeus do Egito rumo à terra prometida, Israel.

Aliás, conforme registros, Jesus Cristo, já celebrava a páscoa judaica desde criança e sua última refeição, a chamada Santa Ceia, era justamente uma confraternização pascal, ou uma celebração da Pessach.

Para os cristãos, o símbolo maior da Páscoa é a luz de Cristo, representada pela vela (círio pascal).  Assim, a luz do Domingo da Páscoa (vida) se contrapõe à escuridão da Sexta-Feira da Paixão (morte) . E o que era dor e tristeza se transforma em força e alegria com a ressurreição!

Por isso, em ambas tradições, cada uma a seu modo, a Páscoa tem um sentido de reunir a família para celebrar a renovação da esperança da passagem para uma nova vida!

“Semeie boas ideias nas crianças, mesmo que elas não as entendam; os anos se encarregarão de decifrá-los em seu entendimento e fazê-los florescer em seu coração. “

Maria Montessori

As origens dos símbolos da Páscoa

No hemisfério norte, onde surgiram muitas das nossas tradições, a Páscoa coincide com a chegada da primavera que se inicia-se no dia 20 de março. Assim, a Páscoa cristã passou a ser comemorada no primeiro domingo após a primeira lua cheia da primavera.

E oque acontece com a chegada da primavera? Após um período de reclusão, frio e escuridão, a luz e o calor trazem dias luminosos e alegres. Novas flores aparecem, trazendo novas cores e o renascimento da natureza e da vida!

Os ovos trazem esse simbolismo de continuidade da vida, de renascimento. Por isso, em muitas culturas, é tradição presentear com ovos decorados, flores e bolos com sementes (origem das colombas) no domingo de Páscoa, um símbolo do renascimento da vida.

Quando a Páscoa cristã começou a ser celebrada, o rito pagão de festejar a primavera foi integrado à Semana Santa. Os cristãos, então, passaram a ver no ovo um símbolo da ressurreição de Jesus.

Mas e o coelho?

A origem é também está relacionada à primavera. Após o inverno, quando deixavam o abrigo para buscar alimentos, os coelhos surgiam das tocas com suas imensas ninhadas.

A presença dos coelhos era sinal de que o inverno havia acabado e que a primavera começara, trazendo o sol, calor e conforto para estas pessoas.

Como um grande representante da fertilidade e esperança no futuro, o coelho também é uma das marcas da páscoa que mais cativa as crianças.

Como transmitir o simbolismo da festa às crianças?

Mas mais do que os simbolismos, a Páscoa é um dia para se passar em família, com crianças e adultos celebrando em harmonia e com muito amor ao próximo.

Cada família encontrará sua forma de transmitir valores e criar tradições. Mas dependendo da idade da criança, essa compreensão pode ser bem difícil…

Então, que tal se afastar dos discursos quanto às origens da festa, que muitas vezes são incompreensíveis para as crianças, e trazer o simbolismo lúdico, criando memórias afetivas sem ter que apelar para a fantasia, nem se render ao consumismo das festas?

Tudo isso e dá sentido à festa para as crianças.

Fez sentido para você? Conte-me aqui nos comentários!

No próximo post, trarei algumas ideias lúdicas para celebrarmos a Páscoa com os pequenos, mas já me antecipo para desejar a você e sua família uma Feliz Páscoa!

Com carinho,

Pri Guerreiro.